Ansiedade: Tratamento e 15 dicas práticas para controla-la

Atualizado: 29 de Fev de 2020

A forma mais comum de controlar a ansiedade é a prática de exercícios. Praticar atividades físicas ajuda a lidar com estados de ansiedade porque eleva a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer. Essa alternativa costuma funcionar dependendo da disposição da pessoa, uma vez que nem todo mundo gosta de praticar exercícios.


Antes de tudo, saiba que as causas da ansiedade são mentais. É preciso reafirmar que só existe tratamento real e cura de verdade para os transtornos da ansiedade quando o ansioso busca a PSICOTERAPIA.


Pesquisas apontam que 92,7% das pessoas que têm sintomas de ansiedade pioram seus sintomas ao longo dos anos e 78,3% delas vão desenvolver outros transtornos como depressão, TOC (transt. obsessivo compulsivo), fobias (específicas e social), agorafobia, entre outros. Além de apresentarem uma altíssima probabilidade de desenvolverem outros transtornos psicológicos, o ansioso em 86% dos casos apresenta sintomas físicos como baixa imunidade, infecções recorrentes, rigidez e dores nas costas, gastrite, irritações na pele, insônia, alterações no apetite, níveis de cortisol e adrenalina elevados.


Conheça as causas mentais da ansiedade.


As raízes da ansiedade são basicamente 3 tipos de crenças:


Eu: Eu sou vulnerável

Ambiente: O mundo é perigoso

Futuro: O futuro é incerto


Os tratamentos para ansiedade em psicoterapia se dão em 4 frentes:


Modificação de pensamentos

Motivação para prática de atividade física

Alimentação equilibrada

Relaxamento


Conheça um especialista em ansiedade e seja atendido de onde você estiver



1. Caminhe

Caminhar três vezes por semana, por pelo menos meia hora, já pode ajudar a lidar com a ansiedade. O momento da caminhada, além de ser um exercício para o corpo, também pode ser aproveitado para trabalhar a mente, sob a forma da meditação ativa. Quando você anda, pensa. A caminhada de meia hora é um movimento repetitivo e você acaba pensando nos pontos geradores de ansiedade que precisa trabalhar.


2. Reduza seu estresse diário

Pessoas com tendência a ansiedade precisam reduzir o seu estresse diário e existem diversas formas de fazer isso. Para as que ficam estressadas com mais facilidade recomendo sessões de acupuntura regulares, além de meditação. Muitos pacientes com ansiedade se beneficiam também de tratamentos alternativos como a homeopatia e o uso de florais de Bach.


A ioga oferece ao praticante a possibilidade de aprender a controlar sua mente e seu corpo. Este controle, que é obtido através de uma combinação de técnicas respiratórias, corporais e de meditação. Tem como resultados o aumento da flexibilidade, fortalecimento dos músculos, aumento de vitalidade e maior controle sobre o estresse. Além da ioga, outra alternativa de controle da ansiedade são as massagens. Se tiverem uma abordagem mais oriental, buscando o equilíbrio emocional, melhor.


3. Experimente controlar a respiração

Para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos fazer o controle da respiração. Isto pode ser feito compassando a respiração e inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada. Ao inspirar deixar o abdome expandir-se, ou seja, estufar a barriga e não o peito. Depois, expirar lentamente, expelindo o ar pela boca. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora. Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use uma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração diafragmática, certamente, reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor.


4. Evite pensamentos negativos

Em situações de ansiedade que se estendem por longos períodos, recomenda-se que a pessoa evite os pensamentos negativos ou catastróficos. Deve-se tentar dimensionar a gravidade da situação, questionando a si mesmo se existe uma forma alternativa de análise, se estamos superestimando o grau de responsabilidade que temos nos fatos ou se estamos subestimando o grau de controle que podemos ter.

Uma vez avaliada a situação, devemos substituir os pensamentos sobre o evento temido, principalmente os negativos. Sempre que um pensamento negativo se iniciar, devesse substituí-lo por outro pensamento qualquer, preferencialmente, agradável. Isto certamente não é fácil de ser feito, mas é possível e trata-se de um aspecto importante, pois os pensamentos e as falas negativas agravam a situação, intensificando as respostas autonômicas, como o mal-estar e o descontrole respiratório.